Outubro Rosa: prevenção, cuidados e como apoiar a campanha

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

Outubro chegou e, com ele, a conscientização de um problema muito sério: o câncer de mama. Ele é o tipo mais comum da doença entre as mulheres do mundo inteiro e, no Brasil, a situação é a mesma. O INCA (Instituto Nacional do Câncer) estima que haja cerca de 66.280 novas pacientes no país em 2020. Por isso, é mais do que importante falarmos sobre a saúde das mamas e a prevenção. Vamos falar sobre Outubro Rosa?

A campanha do Outubro Rosa começou nos Estados Unidos lá na década de 1990. Como vocês já sabem, a iniciativa ganhou muita notoriedade e foi exportada para o mundo inteiro. Mas foi apenas em 2008 – organizado pela Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (FEMAMA) – que outubro passou a ser o mês da conscientização do câncer de mama aqui no Brasil. Hoje a campanha conta com o apoio de marcas, celebridades e da mídia em geral. O que acha de entrar nessa luta com a gente?

Ainda segundo o INCA, manter uma vida saudável – com alimentação balanceada e prática de exercícios físicos – é essencial para a prevenção do câncer. A amamentação também aparece como um fator protetor contra a doença.

Mas vamos por partes. Primeiro de tudo, é importante conhecer o seu histórico familiar. Se mulheres da sua família sofrem ou sofreram com a doença, a atenção precisa redobrar! Isso porque existe um fator genético que pode aumentar as chances de desenvolver a doença. Mas não pense que se nenhuma parente sua foi diagnosticada você está totalmente segura. É importante fazer um acompanhamento médico todo o ano. O famoso check-up, sabe? Converse com a(o) sua(seu) ginecologista e, se ainda não o faz, inclua exames como a mamografia digital, tomossíntese mamária e/ou ultrassonografia das mamas. Converse com o seu médico e discutam qual é a melhor abordagem  para o seu caso. Melhor prevenir do que remediar, não é mesmo? Quando detectado precocemente o câncer de mama tem muito mais chances de ser curado sem maiores complicações.

Além disso, fique de olho – e de mão – nas mamas! Embora não substitua testes laboratoriais, o autoexame é sempre aconselhável e deve ser feito todo mês. Veja alguns sintomas que merecem atenção especial segundo o INCA:

  • Mudança no formato do mamilo
  • Lesão inflamatória – o famoso machucado – que não responde a tratamentos tópicos (tomadas e afins)
  • Secreção fora do período de parto ou pós-parto 
  • Aumento das mamas junto com mudança da textura da pele com aspecto de “casca de laranja”
  • Retração da pele da mama

Todas sabemos da seriedade da doença e do impacto que ela causa na mulher e em sua família. Além de todos os tratamentos e sintomas, a questão estética também acaba afetando a autoestima das pacientes. Exaltar o amor próprio pode ser ainda mais difícil quando se está – involuntariamente – careca e com cicatrizes nas mamas. O instituto Quimioterapia e Beleza, fundado pela ex-modelo Flávia Flores foca bastante em ativar a vaidade de pacientes com dicas de beleza, truques, maquiagens e cosméticos além da doação de lenços e perucas. Para ajudar o trabalho da Quimioterapia e Beleza basta entrar no site deles: www.quimioterapiaebeleza.com.br 

Outras instituições que ajudam mulheres com câncer são a FEMAMA, que já mencionamos acima, a Fundação Laço Rosa e a Rede Feminina de Combate ao Câncer. Existem inúmeras outras ONGs e iniciativas pelo país que precisam de doações. Outra maneira simples de ajudar é aproveitar o momento de uma transformação no visual e doar o seu cabelo para a criação de perucas. Muitas instituições recebem e tratam os fios. Basta procurar a mais próxima de você. Mas a melhor forma de ajudar a campanha do Outubro Rosa é espalhando a importância do autocuidado e praticando as recomendações.